domingo, 1 de abril de 2012

Tuas palavras antigas
Deixei-as todas, deixeia-as,
Junto com as minhas cantigas,
Desenhadas nas areias.

Tantos sóis e tantas luas
Brilharam sobre essas linhas,
Das cantigas — que eram tuas —
Das palavras — que eram minhas!

O mar, de língua sonora,
Sabe o presente e o passado.
Canta o que é meu, vai-se embora:
Que o resto é pouco e apagado.

C. Meireles

Um comentário:

  1. Oi, gostei do seu blog. A escrita e criativa e original. Parabéns! Estarei sempre por aqui.
    Ficaria grata se tu visitasse o meu também, e se gostar siga.
    http://sentimentosfeericos.blogspot.com.br/

    Abraços.

    ResponderExcluir