sexta-feira, 26 de novembro de 2010




Queria mais um amor. Escrevi cartas,
remeti pelo correio a copa de uma árvore,
pardais comendo no pé um mamão maduro
- coisas que não dou a qualquer pessoa -
e mais que tudo, taquicardias,
um jeito de pensar com a boca fechada,
os olhos tramando um gosto.
Em vão.
Meu bem não leu, não escreveu,
não disse essa boca é minha.
Outro dia perguntei a meu coração:
o que há durão, mal de chagas te comeu ?
Não, ele disse: é desprezo de amor.

[Adélia Prado]

10 comentários:

  1. Não estou bem pra escutar sobre o amor.. não agora. :(

    ResponderExcluir
  2. ...
    Maravilha de letrinhas.
    Gosto assim.
    Abraço.
    ...

    ResponderExcluir
  3. belas letras emana muita emocao en elas .... letras por elas mesmas falan amor e precioso...

    saludos
    abracos
    otima semana

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo Flávia, tudo perfeito!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. [benditos os poetas que se escrevem nos poemas em que o amor é o actor principal]

    um imenso abraço, Flávia

    LB

    ResponderExcluir
  6. É por essas e outras que amo Adélia Prado!

    Beijos pra Ti

    ResponderExcluir
  7. Amo esse texto *-*

    Flávia,
    tem um desafio pra ti lá no meu blog. ^^
    beijo.

    ResponderExcluir
  8. OLA
    PASSANDO PARA DIVULGAR MEU NOVO BLOG
    WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
    ME SEGUE LÁ TAMBÉM POR FAVOR
    BEIJOS

    ResponderExcluir
  9. Adélia é maravilhosa! O blog é maravilhoso!
    Parabéns, Flávia!
    Um dia cheio de poesias pra ti.

    ResponderExcluir