quarta-feira, 29 de setembro de 2010




— O que você quer? Às vezes, entre tantos sonhos, infiltra-se algum que não tem nada a ver com a vida real.

Não tornei a vê-la nem a me perguntar por ela até que soube do anel em forma de cobra da mulher que morreu no naufrágio do Hotel Riviera. Portanto não resisti à tentação de fazer algumas perguntas ao embaixador português quando coincidimos, meses depois, em uma recepção diplomática. O embaixador me falou dela com um grande entusiasmo e uma enorme admiração. "O senhor não imagina como ela era extraordinária", me disse. "O senhor não resistiria à tentação de escrever um conto sobre ela". E prosseguiu no mesmo tom, com detalhes surpreendentes, mas sem uma pista que me permitisse uma conclusão final.

— Em termos concretos — perguntei no fim —, o que ela fazia?

— Nada — respondeu ele, com certo desencanto. — Sonhava.


[Gabriel Garcia M.]

4 comentários:

  1. Flávia, adoro Gabriel Garcia Marquez. Já li "Cem anos de solidão" várias vezes. Ele me encanta... Me diga, de onde é esse trecho?

    Beijo

    Carla

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Sonhar... Precisamos de algo mais?

    ResponderExcluir
  4. Gosto de Gabriel, gostei tb do seu blog.

    Fica aqui o convite para conhecer o meu blog, será um prazer te ver Pelos Caminhos da Vida.

    beijooo.

    ResponderExcluir