terça-feira, 2 de agosto de 2011




"Presenças, solidões que vão tecendo a vida,
o filho que se faz, uma árvore plantada,
o tempo gotejando do telhado.
Beleza perseguida a cada hora, para que não baixe
o pó de um cotidiano desencanto.

Tão fielmente adaptam-se as almas destes corpos
que uma em outra pode se trocar,
sem que alguém de fora o percebesse nunca.



E que tudo o que nasce
Tem sempre um fim triste
Até meu carinho
Até nosso amor

Vinicius de Moraes,

4 comentários:

  1. Adorei o espaço.
    Já estou seguindo.

    Te convido para conhecer o Blog

    Michele Santti
    http://michelesantti.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo tudo aqui!
    Lhe seguindo. Me faça uma visita : )
    Bela semana Flávia.

    Grande beijo

    ResponderExcluir