quarta-feira, 18 de agosto de 2010





Arrasta me por vezes como um mar, a música!
Rumo à minha estrela,
Sob o éter mais vasto ou um tecto de bruma,
Eu levanto a vela;

Com o peito prà frente e os pulmões inchados
Como rija tela,
Escalo a crista das ondas logo amontoadas
Que a noite me vela;

Sinto vibrar em mim as inúmeras paixões
De uma nau sofrendo;
O vento, a tempestade e as suas convulsões

Sobre o abismo imenso
Embalam me. Outras vezes é a calma, esse espelho
Do meu desespero!

[CHARLES BAUDELAIRE]

4 comentários:

  1. Linda letra!

    Passando para mandar um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Linda mesmo querida!
    Feliz com o seu comentário!
    Seguindo você!

    ResponderExcluir