domingo, 13 de março de 2011




A alma é uma coleção de belos quadros adornecidos, os seus rostos envolvidos pela sombra. Sua beleza é triste e nostálgica porque, sendo moradores da alma, sonhos, eles não existem do lado de fora. Vez por outra, entretanto, defrontamo-nos com um rosto (ou será apenas uma voz, ou uma maneira de olhar, ou um jeito da mão...) que, sem razões, faz a bela cena acordar. E somos possuídos pela certeza de que este rosto que os olhos contemplam é o mesmo que, no quadro, está escondido pela sombra. O corpo estremece. Está apaixonado.
Acontece, entretanto, que não esxiste coisa alguma que seja do tamanho do nosso amor. A nossa fome de beleza é grande demais.(...)Cedo ou tarde descobrirá que o rosto não é aquele. E a bela cena retornará à sua condição de sonho impossível da alma. E só restará a ela alimentar-se da nostalgia que rosto algum poderá satisfazer...

[Rubem Alves]

5 comentários:

  1. Olá guria!
    Passando para desejar uma semana iluminada!
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  2. Seguindo seu blog Flavia muito lindo bjuss

    http://jhdocemel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Hermosas y melancolicas palabras, un abrazo desde Chile,

    ResponderExcluir