segunda-feira, 5 de julho de 2010




Eu fui uma mulher marítima,
as rugas chegaram antes.

Eu fui uma mulher marítima,
paisagem e pêssego,
uma faísca
entre a corda do barco
e a rocha.

Eu fui o que não sou.
Depois que inventaram o inconsciente,
a verdade fica sempre para depois.

[Fabricio Carpinejar]

2 comentários:

  1. Adorei
    Beijos
    http://nuvem-de-amor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Super composition...I like this very nuch.

    greetings, Joop

    ResponderExcluir